Que medicamentos são seguros?

Não existem medicamentos totalmente seguros e, em simultâneo, completamente eficazes. Mesmo um medicamento como a penicilina, que trata infeções microbianas e já salvou milhões de vidas, pode provocar alergias graves que chegam a ser mortais. Todos os fármacos têm efeitos no nosso organismo: parte do efeito é desejado (prevenir, tratar ou curar uma determinada doença ou aliviar os seus sintomas), mas alguns dos efeitos são indesejados (acontecimentos adversos). Um medicamento é autorizado para uso humano quando os peritos calculam que os efeitos desejados sobre a doença ultrapassam os efeitos indesejados no nosso organismo.

pharmacovigilancenausea

Um doente tomou o medicamento com o almoço. Depois, sofreu náuseas/vómitos. Foi por a comida estar estragada? Ou foi devido ao medicamento? Este acontecimento é um acontecimento adverso, indesejado, mas não é possível tirar uma conclusão sem possuir mais informações e não se pode ter a certeza de se ter tratado de um efeito do medicamento.

  • Quando não se sente bem depois de tomar um medicamento, isto pode dever-se ou não ao próprio medicamento. Quando o efeito não pretendido ocorre, designa-se por "Efeito Adverso" ou "Efeito Indesejado". Há também quem o denomine "Efeito Secundário", "Acontecimento Adverso", ou "Acontecimento Indesejado", ou ainda quem utilize o termo "Suspeita de Reação Adversa";
     
  • O termo "Reação Adversa Medicamentosa" só se aplica quando há a certeza de que o efeito indesejável se deve ao medicamento. Literalmente, significa que os profissionais de saúde determinaram que o efeito indesejável é uma reação direta ao fármaco.
     

 

Quando os peritos decidem autorizar um medicamento, não deixam de continuar a querer saber mais sobre o seu efeito à medida que mais doentes o começam a tomar. Se mais doentes do que o esperado apresentarem os mesmos acontecimentos indesejados e se for possível provar que é o medicamento que os causa, os peritos podem rever a decisão que tomaram, adotar medidas para diminuir os riscos, se possível, ou até mesmo decidir retirar o fármaco do mercado no caso de o efeito ser grave.

É impossível garantir que se conhecem todos os riscos quando um medicamento é introduzido no mercado pela primeira vez, sendo provável que alguns riscos só se tornem conhecidos depois de atribuída a autorização de introdução no mercado.

É por este motivo que é mais exato utilizar o termo «perfil de toxicidade» do que falar-se no «perfil de segurança» de um medicamento, dado que todos os fármacos acarretam um certo risco.

Page created: 18/01/2013
Page last updated: 07/11/2014
 
 
A voz das pessoas com doenças raras na EuropaEURORDIS A voz internacional das pessoas com doenças raras, Rare Diseases InternacionalRare Disease International Reúne doentes, famílias e especialistas para partilhar experiências num fórum multilinguístico. RareConnect O programa Rare Barometer é uma iniciativa da EURORDIS para a realização de inquéritos para transformar a experiência das pessoas com doenças raras em números e factos que podem ser partilhados com os responsáveis pela tomada de decisões.Rare Barometer An international awareness raising campaign taking place on the last day of February each year, Rare Disease Day is a EURORDIS initiativeRare Disease Day Adira ao maior encontro europeu das partes interessadas no âmbito das doenças raras na Conferência Bienal Europeia sobre Doenças Raras e Produtos Órfãos. A ECRD é uma iniciativa da EURORDISEuropean Conference on Rare Diseases